Posts Tagged ‘promoção’

Ruffles | Faça-me um sabor

01/03/2011

Lembram da campanha que falei semana passada feita pelo Doritos? Muita gente ficou chateada que só os canadenses poderiam participar. Mas calma! Seus problemas acabaram!

A Ruffles, que também é da PepsiCo, lança uma ação beeem parecida aqui no Brasil! A ideia é mais ou menos a mesma, só que não temos nenhum sabor em conflito. Eles querem aproveitar a habilidade do pessoal em relação com a marca da empresa e pedir para que eles criem um novo sabor para o salgadinho. Isso mesmo, você, caro leitor, pode ser o criador de um novo sabor para a Ruffles – mas duvido que seja mais gostoso que o Cebola&Salsa!

O produto vencedor será colocado no mercado e estará disponível em pontos-de-venda em todo o país. Para participar, é só acessar o site da marca até o dia 15 de abril e colocar sua sugestão. Deverão ser informados o nome do sabor, os ingredientes principais e uma imagem para ilustrar a inspiração para o novo sabor.

Uma comissão julgadora vai selecionar os três melhores, que irão para as gôndolas, onde poderão ser experimentados e avaliados por consumidores entre julho e setembro. O sabor campeão, definido pela quantidade de vendas e a votação dos consumidores, será anunciado em outubro.

E agora vem a parte principal! O prêmio também condiz com a campanha feita no Canadá: o vencedor do novo sabor ganha um prêmio de R$50 mil, além de 1% do faturamento líquido gerado pelas vendas do novo Ruffles.

A iniciativa, chamada “Ruffles: Faça-me um sabor” não é novidade dentro da PepsiCo, ela nasceu na Austrália e já rodou outros países. Lá fora a ação se chama “Do us a Flavor”.

Esse foi o maior investimento da marca feito no Brasil.

Via.

The End | Escolha o novo sabor de Doritos

22/02/2011

A Doritos do Canadá vem com uma campanha beeem ousada.

A campanha, intitulada “The End”, traz dois novos sabores de Doritos: Onion Rings N’ Ketchup e Buffalo Wings N’ Ranch, mas só um deles sobreviverá para chegar às prateleiras dos supermercados. O outro será destruído por você. É você que dá uma de roteirista e escreve o final do filme, dizendo qual sabor e como ele será eliminado. Isso é feito no site da campanha.

A ideias podem ser enviadas até o dia 13 de março, quando serão definidos 40 roteiros através de votação popular. Depois da votação, serão escolhidos 14 finalistas, sendo 7 para cada sabor, e quem escolherá o grande vencedor será a marca, a agência e o diretor do comercial.

A notícia boa: O prêmio para o vencedor será de US$ 25 mil e mais 1% das futuras vendas do novo sabor.

A notícia ruim: A promoção só vale para quem mora no Canadá 😦

Via.

Kibon | Fala cabeção!

27/01/2011

A Kibon agora vai dar o que falar! Ou melhor.. vai falar o que vai dar!

A partir do dia 31 de janeiro começa a promoção “Fala, cabelão!”, na qual 500 picolés falantes da linha Fruttare Caseiro estarão escondidos em freezers em todo o Brasil, e quem achar será premiado com R$200,00 em vale-compras da Kibon.

A promoção vai até o dia 2 de abril e será válida para os três sabores da linha – pêssego, morango e banana.

Para acompanhar a ação, a Kibon também fez um joguinho super legal, o “Pega cabeção”, onde você tem que pegar o maior número de cabeças de pêssego em 3 minutos!

O Comunicadores recebeu um kit com o Picolé Fruttare Caseiro falante e postou um vídeo para vocês verem como é. Veja só:

Clay Yourself | Seu avatar feito de massinha

11/01/2011

O Hotels.com tá investindo na próxima moda de avatares: seu avatar feito de massinha!

Para isso, eles fizeram o “Clay Yourself”, uma ferramenta para criar seu personagem de massinha, e o mais votado irá participar do novo comercial do site.

É só entrar no site e montar o seu bonequinho, escolhendo tudo, desde o formato da cabeça até acessórios. Você pode simplesmente mandar sua arte para seus amigos verem, ou se cadastrar para disputar para aparecer no novo comercial.

O interessante é ver que maioria dos bonecos criados pelas pessoas foram feitos apenas para obter o avatar, sem serem inscritos na promoção do Hotels.com. Ou seja, todo mundo quer brincar, mas ninguém está muito interessado em pedir votos e divulgar a sua ação.

A criação é da Young & Rubicam de Chicago.

Via Brainstorm.

#Nissanfail

14/12/2010

A montadora de automóveis Nissan lançou, em novembro deste ano, um concurso no Twitter e no Facebook a fim de premiar com um carro um de seus seguidores.

O concurso Quero o Meu Carrão daria um Nissan Tiida Hatch 1.8 zerinho para o primeiro participante que conseguisse alcançar 44.500 retweets com a frase “Se eu conseguir 44.500 retweets com esse tweet ganho um carrão. http://www.nissan.com.br/queromeucarrao #queromeucarrão”. Outro carro, um Tiida Sedan 1.8, seria dado para quem conseguisse 44.500 “curtir” no Facebook.

Uma meta um tanto quanto alta e difícil de ser alcançada não foi problema para um participante. Em apenas algumas horas, o perfil @tca_oficial (que foi suspenso pelo Twitter por ter invadido contas alheias) chegou ao número e ganhou o prêmio.

O feito despertou atenção de outros concorrentes, principalmente de um grupo de internautas que resolveram aproveitar a campanha para doar o carro para uma ONG do Rio de Janeiro. Investigando os retweets recebidos pela conta, notaram a presença de um script em suas ações, onde invadiram – sem autorização – milhares de contas para retweetar a mensagem.

O pior de tudo é que, ao ler o regulamento, fica claro que a promoção não permitia nenhum tipo de fraude, e a empresa poderia excluir um participante caso houvesse tentativa de burlar o sistema.

Inconformados com o resultado, uma série de internautas iniciaram protestos online, e até a conta @NissanFail foi feita no Twitter. As pessoas que estavam participando ativamente da campanha para entregar o carro para a ONG – e que lideravam a corrida até então – resolveram entrar com uma ação conjunta contra a Nissan.

Em um comunicado publicado no site da empresa, a Nissan informou que incluiu na premiação um segundo carro para a campanha do Twitter, e ainda criou um comitê auditor para avaliar todos os casos e dúvidas que eventualmente venham a ocorrer nas redes sociais – pena que esse comitê não se trata de profissionais especialistas em internet, como o próprio comunicado deles diz, mas sim por perfis populares do Twitter. Fora isso a montadora não deu mais satisfações.

Infelizmente, é a partir de casos como esse que vemos como algumas empresas (mesmo as gigantes) ainda não estão acostumadas com o fato do consumidor ter mais poder de influência do que antes. Esse caso conseguiu sujar, pelo menos por um tempo, a imagem da montadora e da agência que promoveu a ação, já que ambas não conseguiram controlar a situação de um jeito justo e democrático.

Acho que o pessoal da Nissan deveria ler alguns dos nossos posts! Fica a dica: O poder do consumidor na era digital e 12 passos em Mídias Sociais para não sair dos trilhos!

Vi no Olhar Digital.

BGH | Desconto para narigudos

02/12/2010

Agora os narigudos poderão se orgulhar de seu avantajado membro respiratório!

Com a finalidade de promover a nova linha de ar condicionado da BGH, a BGH Silent Air, que conta com cinco etapas de filtragem de ar, a agência Del Campo Nazca Saatchi & Saatchi acaba de lançar uma campanha promocional na Argentina um tanto quanto estranha: quem provar que é narigudo ganha 25% de desconto na compra do ar condicionado. Justo, afinal são eles que mais necessitam de ar puro!

Os comerciais da campanha são regados de bom humor, e não ferem aqueles que possuem um nariz mais avantajado em momento nenhum, muito pelo contrário. O filme principal da campanha mostra a felicidade de um cara ao provar para todos na loja que ele é um narigudo, ganhando assim os 25% de desconto prometidos pela marca. Já outros filmes menores da campanha mostram depoimentos de pessoas que conseguiram, ou não, vencer o desafio.

NARIZ DECEPCIONADO

NARIZ GIGANTE

Vi no Ypsilon 2.

Ação P&G | Tumulto no Rio

25/11/2010

O resultado obtido pela Procter & Gamble com uma ação de guerrilha nas ruas do Rio de Janeiro, na quarta-feira, dia 24 de novembro, foi um total #fail.

A empresa espalhou algumas caixas de madeira em pontos públicos da cidade, como na Praça Cardeal Acoverde (em Copacabana), no Parque dos Patins (na Lagoa), na Praça General Osório e no Posto Nove (em Ipanema). O que tinha objetivo de chamar atenção, acabou tendo um efeito negativo em meio à onde de violência que vem acontecendo no Rio.

As caixas faziam parte da ação “P&G Provou Gostou Avião do Faustão” (apoio para a promoção da P&G, que acontece em parceria com o programa da Rede Globo), e tinha como ideia mostrar que o Avião do Faustão está tão carregado de prêmios que alguns deles estão até caindo do céu. Porem, por terem sido confundidas com bombas ou outro artefato de risco, as caixas foram explodidas pelo Esquadrão Antibombas da cidade.

Logo que o assunto veio à tona, a P&G divulgou um comunicado no qual assumiu que as caixas faziam parte de sua ação e lamentou o ocorrido, avisando que, por conta dos desdobramentos, suspenderá todas as ações do gênero por tempo indeterminado.

Todo esse ocorrido serve de aprendizado para os profissionais de marketing e promoção, que precisam principalmente se manter atentos para o atual cenário das cidades, considerando qualquer tipo de problema que a ação possa gerar.

No caso específico, além de saber o que estava acontecendo no Rio de Janeiro, deveriam se atentar mais ao tipo de intervenção pública que foi feito: desde o atentado terrorista nos EUA em 2001, pacotes suspeitos já causaram pânico em diversos espaços públicos. Além disso, como a jornalista Claudia Penteado lembra em sua coluna Consumo e Propaganda no IG, um ação similar foi feito em Boston para promover a série de animação Aqua Teen Force, exibida pelo Cartoon Network. Numa certa manhã os moradores de Boston descobriram que mais de 10 dispositivos eletrônicos estavam distribuídos por diversos pontos da cidade, e alertaram as autoridades. Ruas e pontes foram fechadas e linhas de metrô evaduadas durante horas, causando um dos maiores nós que a cidade já viveu. Quando o estrago já estava feito, a polícia descobriu que os dispositivos eram apenas luminosos com a silhueta de um dos personagens da série.

Ações promocionais como interferência urbana não são uma novidade, já que muitas marcas querem gerar um boca-a-boca e fugir das mídias tradicionais. E uma vez disparada, a ação não tem volta. O que a ação da P&G causou foi completamente o contrário do esperado: um enorme boca-a-boca negativo e uma manifestação nas mídias sociais criticando fortemente a ação, o que desencadea protestos também contra o apresentador Fausto Silva e a Rede Globo.

Isso que pode se chamar de uma ação errada no lugar errado.

Chuva de quê??

31/05/2010

Na última semana ouvimos muito sobre a chuva de chocolate que se abateria sobre a Avenida Paulista neste fim de semana.

A campanha on/off começou como o sonho de qualquer marketeiro, gerando boca-a-boca e levando uma pequena multidão a ação, que aconteceu em um estacionamento próximo ao MASP.

A chuva aconteceu, porém muito diferente do que os participantes esperavam.

O problema parece ter acontecido na execução da ação. Uma fila enorme de pessoas ficaram de fora do evento, já que o espaço lotou quase 1 hora antes e, pra piorar, poucos chocolates foram atirados e muito papel picado se espalhou pela Paulista.

A questão é: será que a ação foi realmente #fail ou de alguma forma distorcida alcançou seu objetivo? Se deu certo ou não, só a empresa pode dizer. O que nós sabemos é que ainda estamos falando sobre o assunto.

Veja o protesto de um dos participantes.

Este post foi uma dica do Updaters.