Posts Tagged ‘Mídias sociais’

Mídias sociais x Procon: Qual causa mais danos à marca?

16/03/2011

Esse ano já vimos dois exemplos de como a força das mídias sociais é grande. Primeiro tivemos o caso de um consumidor contra a Brastemp (o que levou a empresa a figurar entre o quatro assuntos mais comentados do mundo no Twitter), e agora o caso de uma consumidora insatisfeita com o descaso da montadora Renault.

Essas são provas de que as empresas ainda usam um atendimento antiquado e falham em questões fundamentais, o que resulta em um questionamento sobre a reputação das empresas envolvidas.

O consumidor, pelo contrário, mostra que está muito mais atento aos canais de comunicação que têm à sua disposição, e ele sabe que quando a reputação da marca é afetada, ela tende a ser mais ágil para amenizar a situação.

Vemos como um bom exemplo o site Reclame Aqui, que atua como um canal online de comunicação entre o consumidor insatisfeito e a marca. Em 2010 o site registrou uma média de 4 milhões de visitas por mês, número 4 vezes maior do que o alcançado em 2009 e também superior à contagem de atendimentos realizados pelo Procon, que ficou em 630 mil. Só esse fato já mostra a mudança no comportamento dos consumidores, coisa que deve ser vista com atenção pelas marcas.

Outro bom exemplo é um recente estudo da E.Life que monitorou o termo #Fail no Twitter durante três meses. Os resultados dessa pesquisa mostram que as categorias de empresas mais criticadas no Twitter foram as mesmas mais reclamadas também no Procon.

Como explica Alessandro Barbosa Lima, da E.Life, as redes sociais hoje são um canal natural de autorregulamentação no tratamento do consumidor e, apesar de não serem um canal oficial como o Procon, agem como potencializadores na relação da marca com o consumidor, afetando tanto para o bem quanto para o mal.

Creio que a principal lição que as empresas precisam tirar disso é que o seu consumidor não está só exaltando o fato de não ter gostado do seu produto ou serviço, como também está influenciando um possível futuro comprador. Ou seja, não é só a sua pós-venda que está prejudicada, sua pré-venda corre risco de não ser bem sucedida.

E, acima disso, é preciso lembrar que as reclamações têm um sentido de permanência na internet. As informações publicadas há seis anos atrás podem ser consultadas até hoje. O mesmo marketing que uma década atrás era feito boca a boca, hoje é feito também na rede. A diferença é que o que é comentado permanece online, disponível para acesso e pesquisa.

Portanto, seja marca ou consumidor, use as mídias sociais a seu favor, e aprenda a se relacionar nesse novo meio!

Via.

Facebook | Like Button ganha novas funcionalidades

02/03/2011

Depois de muito tempo de atualizações, o Facebook anuncia nova mudança no botão ‘Like‘ (ou ‘Curtir’, como preferir).

Agora quando alguem curte alguma coisa, um mini post será enviado para o mural em seu perfil.

Isso certamente vai gerar mais tráfego pros sites, já que toda vez que clicarem nesse botão, o link será mostrado com evidência no perfil e no feed de notícias.

Veja como fica:

Via.

Facebook | Jogo Cara a Cara

03/02/2011

Como tudo vira virtual, jogos não fogem dessa regra!

Mania nos anos 80 e 90, o jogo de tabuleiro Cara a Cara ganha uma nova versão, agora para Facebook.

O aplicativo permite que dois usuários se enfrentem fazendo perguntas que apenas podem responder sim ou não.

“O Facebook permite criar uma interface ideal para o jogo, garantindo grande adesão dos usuários da rede social”, afirma Ricardo Zanella, um dos desenvolvedores do app.

E aí, o que acharam? Vão voltar a jogar Cara a Cara, agora de maneira mais digital!?

Via.

SigaSeuTime | Temperatura das torcidas no Twitter

31/01/2011

O SigaSeuTime distribui conteúdo sobre os clubes de futebol brasileiros em diversas plataformas, e, como vocês devem imaginar, a principal delas se tornou o Twitter. Hoje o canal conta com cerca de 500 mil usuários.

No Twitter funciona mais ou menos assim: você segue o @SigaCorinthians, por exemplo, e recebe as principais notícias, resultados e até narração em tempo real dos jogos.

Agora eles ficaram mais famosos pelo seu último lançamento: o Tuitômetro. Essa ferramenta pretende medir a temperatura das torcidas no Twitter, mostrando quais são os clubes mais comentados, com base na quantidade de tweets por minuto, tweets por pessoa e total por dia.

Vale a pena notar que tudo muda quando está rolando algum jogo, o que não é o caso do printscreen acima!

Via.

Infográfico | O marketing nas mídias sociais

24/01/2011

As mídias sociais já vem sendo usadas como plataforma de marketing para algumas marcas há um tempo, mas como ultimamente tem crescido o investimento e o números de usuários, as ações nas redes sociais tem se tornado bem valiosas para uma marca na web.

Em 2010, foi investido 1,7 bilhão de dólares em marketing nas mídias sociais. O país que mais investiu foi os EUA, que teve mais de 50% da soma dos gastos mundiais. E metade dessas cifras foi para… sim, o grandioso Facebook!

O motivo de tanto investimento é um dos principais diferenciais do Facebook para as outras mídias sociais: a quantidade de dados de usuários que ele tem e como que o plano de negócio do Facebook facilita para a realização de campanhas online.

Veja um infográfico com os números dos investimentos em marketing digital nos EUA no ano passado:

Via.

Harry Potter | Ação totalmente digital

20/01/2011

No final do ano passado foi feita uma ação baseada totalmente em fundamentos digitais.

Sem verba alguma, site específico ou plataforma, uma agência munida apenas de dois exemplares do livro “Harry Potter: a magia do cinema”, conseguiu gerar mais de 1,5 milhão de views e alcançar 4 trending topics nacionais usando apenas as mídias sociais como ferramentas estruturais da campanha.

Para acontecer tudo isso, eles construíram um relacionamento com os 4 maiores blogs de fãs de Harry Potter no Brasil (ou seja, foram direto nos influenciadores). Juntos, eles colocaram no ar a One day action #enigmafinalHP.

A ação funcionou da seguinte maneira: foi criada uma história e lançada como vídeo-teaser dois dias antes. Cada um dos quatro blogs representava uma casa de Hogwarts e ficou com um mapa, onde continha um enigma. Os cinco primeiros que mandassem a solução do 5º enigma, tendo passado pelas quatro casas e desvendado os enigmas corretamente, seriam os vencedores e ganhariam os prêmios.

A repercussão da ação foi grande! Em apenas 10 minutos, a ação chegou aos trending topics nacionais (os termos mais citados via Twitter no Brasil). Por volta das 16 horas, 4 entre 9 termos dos trending topics eram sobre a ação. Entre os dias 21 e 24 de dezembro, a hashtag #enigmafinaHP teve mais de 100 mil menções. Cada Twitter dos blogs participantes ganhou em média 1.500 novos seguidores.

Isso mostra o quanto as mídias sociais vem se tornando cada vez mais forte. Se usada da maneira correta, a repercussão da sua marca é altíssima.

Via Blogmidia8.

Mídias sociais vs sites corporativos

18/01/2011

Uma nova tendência que desponta para 2011 é substituir os sites corporativos por perfis nas mídias sociais, já que muitos gestores acreditam que as redes sociais já suprem, em grande parte, suas necessidades na internet. Mas será que essa é uma técnica válida?

Essa atitude pode ser muito perigosa, já que as mídias sociais são muito eficientes para certas coisas, como divulgações e relacionamentos, mas elas não são o suficiente.

As mídias sociais ajudam na divulgação de uma empresa e de seus serviços e produtos, mas ainda não comportam todas as necessidades que o consumidor precisa ter da sua marca. Não se esqueça que o site corporativo é a fachada da sua empresa na internet. É o lugar que o cliente pode visualizar com detalhes o que sua empresa é capaz de fazer, o que já fez de importante e sentir – ou não – confiança no que ela transmite.

Basicamente, as mídias sociais é o meio de divulgação que sua empresa precisa ter para chegar até ela. É como se fosse anúncios ou outdoors; e o site corporativo é onde o consumidor tem que chegar, como se fosse a sede da sua empresa (e na verdade, ela é a sede da sua empresa na internet!).

Ou seja, cada um tem suas especificidades e precisam ser trabalhados juntos, assim sua empresa estará aproveitando amplamente as vantagens que a internet pode oferecer. Lembre-se que o mais importante é respeitar e usar o que cada um tem de melhor a seu favor!

Inspirado no texto de Esther Hinrichsen, divulgado no AdNews.

Para saber como conciliar sua identidade na internet, contate-nos.

I.Sat | Intervenção no Facebook

18/01/2011

Pra você que já está cansado das diversas intervenções em páginas de vídeo, como YouTube e Vimeo, venho mostrar a nova moda agora!

Como isso já perdeu a graça, é hora de começar a brincar com outras mídias sociais, e o mais popular de todos não poderia ficar de fora. Sim, o Facebook já abriu suas portas e algumas marcas já começaram a experimentar gracinhas por lá.

Um exemplo é do canal I.Sat, da Turner, que, para apresentar sua nova identidade visual, criou uma fanpage fake. Clique aqui para ver como ficou.

A criação é da agência argentina Woonky.

Via Brainstorm.

5 Dicas para o e-commerce não transformar o seu Natal em um pesadelo

15/12/2010
Pesadelo de Natal - Autor: http://www.flickr.com/photos/parodyerror/

Proteja suas compras online nesse Natal!

Como bom internauta que você deve ser, imagino que já tenha tido uma experiência de compra online que beirou ao trauma. São entregas que não chegam, pagamentos que são debitados com valores errados, até produtos com defeito. Com o aumento do ticket médio de e-commerce a tendência é que estas más experiências se tornem cada vez mais comuns.

Calma, não precisa se desesperar e abandonar as compras online por completo. Tem saída! Existem alguns truques simples que podemos usar para contornar e tentar evitar que sejamos engambelados pelo crescente número de comércios eletrônicos despreparados para a demanda exponencial causado, principalmente, pela a entrada da classe C no mercado eletrônico.

5 Dicas para fugir das armadilhas do comércio eletrônico

1. Consulte o Reclame Aqui

Dê uma passada e faça uma consulta com o nome da empresa que você deseja fazer negócio. É um bom termômetro para entender a atuação da empresa e como responde aos seus clientes.

2. Não se deixe enganar pelos selos do Reclame Aqui

Pois é, aquele ícone azulzinho sorrindo não significa nada! O importante é ver o gráfico com a evolução de casos RESOLVIDOS. O Reclame Aqui deixou de ser um canal do consumidor e agora classifica bem empresas que respondem as reclamações mas não resolvem o problema. Veja o caso da NET. Viu como o número de casos resolvidos é baixíssimo? Então valorize as empresas que resolvem o problema do consumidor!

3. Procure os canais sociais da empresa

Quer saber como a empresa se porta com os clientes? É simples, visite o Twitter, Facebook ou comunidades dela. Empresas com perfis desatualizados, post e tweets escassos denunciam descaso com os clientes. Fuja!

4. Veja o que falam da empresa nas mídias sociais

Esse é um “truque” simples e efetivo, faça uma busca no Twitter com o nome da loja, empresa ou nome do produto. Está aí a maior rede de consulta aberta do mundo! O povo não tem medo de reclamar, então aproveite e pergunte a eles qual foi a experiência e que sugestão eles dariam. As pessoas adoram ajudar, pode testar e comprovar.

5. Saiba como a empresa responde reclamações e resolve problemas

Você já passou pelos passos acima e a empresa brilhou, então aqui vai o teste de fogo! Descobrir como a empresa trata seus clientes com reclamações. Se a empresa está no Twitter é ainda mais fácil, basta digitar no Google @twitter_da_empresa site:www.twitter.com. O resultado fica ainda melhor, para o nosso objetivo, se você colocar adjetivos como fail ou problema. Dessa forma você vê o que falam para a empresa e se ela respondeu e como o fez.

Ah, até o Google já entrou na dança para tentar ajudar o consumidor a escolher melhor onde comprar. Ele está alterando seu algoritmo para evitar que lojas com links de reclamações sejam bem ranqueadas.

Boa sorte nas compras e feliz Natal! =D

Facebook | Assuntos mais comentados em 2010

15/12/2010

Depois do Twitter, do Google, do Youtube e dos virais, chegou a vez do Facebook divulgar seu top 10 com os assuntos mais comentados pelos usuários nesse ano, dentro da rede social.

De acordo com o relatório elaborado pela empresa, “HMU” (abreviação para “Hit me up”) foi a expressão mais usada em 2010. Segundo o Facebook, as pessoas começaram a adicionar a tag para informar que estavam prontas para um encontro ou para sair com os amigos.

Foi a partir de julho, época de verão e férias escolares no hemisfério norte, que seu uso cresceu consideravelmente. Nesse tempo os usuários começaraam a usar o “HMU” meio que se autoconvidando para sair, explica o relatório.

Em segundo lugar, aparece o assunto Copa do Mundo. Na terceira posição, aparece o tópico Filmes, que foi alavancado devido discussões sobre os longas “Toy Story 3″, The Twilight Saga: Eclipse,” “A Origem” “Alice no País das Maravilhas” e”Iron Man 2” – os cinco mais comentados, respectivamente, no Facebook durante o ano.

iPad e iPhone ficaram com a quarta posição, e Haiti com a quinta. Na sequência aparecem: Justin Bieber, games no Facebook, mineiros, aviões e 2011.

Já no Brasil, o termo mais digitado pelos internautas brasileiros foi “Dilma Rousseff“, a recém-eleita presidente do Brasil. Em segundo lugar aparece o nome do também eleito, Tiririca, eleito para deputado federal pelo estado de São Paulo.

Esta é a primeira vez que a rede social faz um levantamento com dados apenas do Brasil.

Na sequência aparece o nome do festival de música SWU, seguido pelo técnico Dunga, a rede social FarmVille, o atacante santista Neymar, Copa do Mundo, Felipe Melo, Haiti e PSDB.

Para elaborar o relatório, o Facebook analisou as atualizações de usuários de 236 países. A lista surge depois que o site analisa quantas vezes cada termo ou frase é citada nas atualizações de status (posts de uma a quatro palavras) revelando temas ou palavras-chave que são tendências durante o ano. De acordo com o Facebook, todos os tópicos listados tiveram crescimento exponencial em 2010, ou seja, praticamente não existiam no ano passado.

A lista completa pode ser vista no blog do Facebook.

Via Info.