Posts Tagged ‘digital’

Infográfico | O marketing nas mídias sociais

24/01/2011

As mídias sociais já vem sendo usadas como plataforma de marketing para algumas marcas há um tempo, mas como ultimamente tem crescido o investimento e o números de usuários, as ações nas redes sociais tem se tornado bem valiosas para uma marca na web.

Em 2010, foi investido 1,7 bilhão de dólares em marketing nas mídias sociais. O país que mais investiu foi os EUA, que teve mais de 50% da soma dos gastos mundiais. E metade dessas cifras foi para… sim, o grandioso Facebook!

O motivo de tanto investimento é um dos principais diferenciais do Facebook para as outras mídias sociais: a quantidade de dados de usuários que ele tem e como que o plano de negócio do Facebook facilita para a realização de campanhas online.

Veja um infográfico com os números dos investimentos em marketing digital nos EUA no ano passado:

Via.

Harry Potter | Ação totalmente digital

20/01/2011

No final do ano passado foi feita uma ação baseada totalmente em fundamentos digitais.

Sem verba alguma, site específico ou plataforma, uma agência munida apenas de dois exemplares do livro “Harry Potter: a magia do cinema”, conseguiu gerar mais de 1,5 milhão de views e alcançar 4 trending topics nacionais usando apenas as mídias sociais como ferramentas estruturais da campanha.

Para acontecer tudo isso, eles construíram um relacionamento com os 4 maiores blogs de fãs de Harry Potter no Brasil (ou seja, foram direto nos influenciadores). Juntos, eles colocaram no ar a One day action #enigmafinalHP.

A ação funcionou da seguinte maneira: foi criada uma história e lançada como vídeo-teaser dois dias antes. Cada um dos quatro blogs representava uma casa de Hogwarts e ficou com um mapa, onde continha um enigma. Os cinco primeiros que mandassem a solução do 5º enigma, tendo passado pelas quatro casas e desvendado os enigmas corretamente, seriam os vencedores e ganhariam os prêmios.

A repercussão da ação foi grande! Em apenas 10 minutos, a ação chegou aos trending topics nacionais (os termos mais citados via Twitter no Brasil). Por volta das 16 horas, 4 entre 9 termos dos trending topics eram sobre a ação. Entre os dias 21 e 24 de dezembro, a hashtag #enigmafinaHP teve mais de 100 mil menções. Cada Twitter dos blogs participantes ganhou em média 1.500 novos seguidores.

Isso mostra o quanto as mídias sociais vem se tornando cada vez mais forte. Se usada da maneira correta, a repercussão da sua marca é altíssima.

Via Blogmidia8.

Marketing Digital em 2011

12/01/2011

Vi um texto de Silvio Tanabe publicado na Exame, e achei muito interessante. O texto mostra exatamente como o caminho que o marketing digital tende a seguir, e quais aspectos que sua empresa precisa considerar para se destacar na internet. Por isso vou postar o texto aqui na integra.

~

Seguindo o exemplo da economia, 2010 foi o ano em que a internet bateu recordes no Brasil. O número de internautas no país ultrapassou os 80 milhões, o equivalente à população inteira da Alemanha ou duas vezes a da Argentina. O e-commerce fechou o ano com faturamento de R$ 15 bilhões e 40% de crescimento em relação a 2009, um dos maiores índices já registrados, e os sites de compra coletiva tornaram-se um fenômeno de marketing: 246 deles no ar em menos de um ano, com previsão de faturamento de R$ 300 milhões.

Por sua vez, os investimentos em marketing digital atingiram 10% do orçamento de marketing das empresas, com estimativas de aumento de 90% até 2014. Mas é bem possível que essa previsão se concretize até mesmo antes, tal a importância que essa área vem ganhando, conforme revelam as pesquisas realizadas em 2010:

94% dos internautas fazem compras online no Brasil (ComScore).

Consumidores acessam a internet três vezes em média para pesquisar o produto que pretendem comprar (McKinsey).

Na nova classe média digital na América Latina, 33% das mulheres preferem internet à TV (Razorfish/Terra).

60% dos internautas aprovam que empresas usem redes sociais (Ibope Mídia) para divulgar seus produtos e serviços.

Para 25% dos usuários, redes sociais ajudam na decisão de compra (Ibope Mídia).

Diante de tais perspectivas, investir em marketing digital em 2011 deixou de ser uma questão de se (vale a pena), quando ou quanto, mas de como. O intuito aqui é apresentar os principais pontos a serem considerados em 2011, principalmente para as empresas de pequeno e médio porte (PMEs). São elas:

e-Commerce: as plataformas de e-commerce são cada vez mais acessíveis, seguras e com vários recursos para administração, controle de estoque, vendas e formas de pagamento. O desafio atual para o sucesso no comércio eletrônico está no atendimento, logística (tanto na entrega quanto na devolução e troca de mercadorias) e segmentação.

Publicidade online: à medida que mais e mais empresas intensificam sua atuação na internet, todos também querem e precisam aparecer para conquistar a atenção dos consumidores e clientes. Diante disso, os investimentos em publicidade online também precisam ser aprimorados. Não se trata necessariamente de aumentar a verba, mas atuar de forma diferenciada para destacar a empresa. Para tanto, é preciso buscar formas criativas de utilizar ferramentas tradicionais, como links patrocinados, otimização e e-mail marketing, e avaliar o investimento em sites de compra coletiva e programa de afiliados.

Redes socias: torna-se quase obrigatório estar presente nas redes e mídias sociais devido a abrangência entre os internautas e crescimento em importância nas decisões de compra. Mas para se obter resultados efetivos é necessário considerar duas variáveis essenciais: seu público-alvo e a forma como ele interage em cada rede social. A partir desta avaliação é possível definir a melhor forma de atuação, que pode ser promover seus produtos, prestar serviços ou atendimento, tirando dúvidas ou prestando esclarecimentos aos consumidores.

Tendências: na internet, as novas tecnologias e tendências surgem a todo o momento. Umas evoluem aos poucos, outras parecem surgir do nada e tornam-se fenômenos rapidamente. Em 2011, a tendência que merece mais atenção é o mobile marketing. Acompanhe a popularização dos smartphones com conexão à internet, do iPad e tablets (computadores sem teclado), que possibilitam novas formas de publicidade, como aplicativos (apps) e games.

Profissionalização: o último e talvez mais importante aspecto a ser considerado é a profissionalização da gestão do marketing digital. Seja por meio de profissionais próprios ou de uma agência, é necessário ter a orientação e suporte especializado para planejar, executar e acompanhar as diversas ações, que além de tudo precisam estar alinhadas e integradas a outras atividades comerciais e de marketing da empresa.

* Por Silvio Tanabe, consultor de marketing digital da Magoweb e autor do blog Clínica Marketing Digital

Para saber como gerar maiores e melhores resultados nesse meio digital, clique aqui.

Brasil | O país do Twitter

12/01/2011

Que a presença do Brasil no Twitter é forte todo mundo já sabe, mas agora isso é comprovado por meio de números: um em cada cinco brasileiros que têm internet em casa usa o Twitter pelo menos uma vez por mês.

Só ficamos atrás da Indonésia. O próprio EUA, que lidera o número absoluto de usuários, fica atrás do Brasil. Lá só uma pessoa em cada 10 é twitteira (dados da comScore).

Segundo a pesquisa, significa que somos 5,6 milhões de usuários frequentes no país, mas na realidade somos mais! Isso acontece porque só 28 milhões de brasileiros têm internet em casa. Mais de 40 milhões usam só nas lan houses (e não entraram na conta).

Depois de tanto sucesso, a revista Time fez uma reportagem sobre o tamanho do Twitter no Brasil, tentando explicar o fenômeno. Disseram que “os brasileiros querem mostrar que o país é importante” e que o Twitter “era uma forma de os pobres terem acesso aos seus ídolos”.

Segundo dito na Superinteressante, e considero como a minha opinião também, a razão é mais simples: há 4 anos atrás, quando quase ninguem no mundo sabia o que era rede social, os brasileiros já estavam no Orkut. O resto é consequência!

Via Superinteressante.

E se Jesus nascesse em 2010?

22/12/2010

Esse vídeo já está rolando há um tempo na internet, mas como ainda não tinha postado aqui, achei interessante deixar para que ainda não viu ou quer rever.

Esse é um vídeo criado pela agência portuguesa Excentric, recriando o Natal para os dias atuais. E se Jesus nascesse em 2010, como seria? E se o primeiro Natal fosse na era digital?

Assista (ou reveja!) o filme para saber:

O poder do consumidor na era digital

03/12/2010

Antes limitados ao balcão da loja e aos telefonemas e cartas para o Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC), clientes insatisfeitos com produtos e serviços estão usando cada vez mais a internet como meio de disseminar sua opinião sobre marcas que consomem. Ou seja, o que antes era um monólogo privado, onde a empresa falava para um cliente, hoje se tornou um diálogo público, onde o cliente pode “gritar” para outras pessoas sua opinião a respeito de um serviço ou produto. De olho nesse comportamento, muitas companhias já usam as redes sociais como fonte de inspiração para alterações na concepção de produtos e serviços.

Atualmente, empresas brasileiras estão aprendendo diariamente nas redes sociais o desafio de melhorar a relação com os consumidores, transmitindo conteúdo relevante em poucos caracteres. Claro que esse esforção não é em vão, afinal 86% dos usuários brasileiros fazem uso de algum tipo de rede social. Motivos para participar não faltam, o desafio que as prende é saber como administrar interação com conteúdo eficiente.

Um bom exemplo do que quero escrever nessa matéria é o site Reclame Aqui. Lançado há quase 10 anos, esse site é um exemplo de como a internet mudou a forma como as pessoas se relacionam com as marcas. O site promove interação entre consumidores e empresas, e recebe em média 4,8 mil reclamações por dia.

Mauricio Vargas, diretor do Reclame Aqui, avalia, entretanto, que grande parte das empresas ainda não aprendeu a lidar com a nova geração de clientes, e um problema comum é a falta de preparo para atender o consumidor. Ele ressalta que um tiro no pé é a terceirização do SAC, coisa que a maioria das empresas fazem. Em sua avaliação, o ideal é cada empresa ter equipe própria de atendimento.

Depois dessa grande introdução, chego ao ponto principal. Muitas empresas não sabem como tratar um cliente, ele tendo razão ou não, nas mídias sociais, lugar onde tudo o que você fizer certamente será vista pelos outros. Em meio a tudo isso, listei alguns cuidados que todas empresas que se propõem a entrar nas mídias sociais – e não perceberam ainda que essa nova ordem na relação entre consumidores e empresas colocou o cliente no primeiro plano e deu a ele mais poder – precisam ter:

1. Não se exponha – Abra um canal paralelo, como um email, um chat ou um Twitter SAC. Evite respondê-lo no seu canal principal porque isso pode deixá-lo vulnerável e, além do mais, ninguém mais tem interesse no assunto. Dessa forma você evita o famoso flood na timeline de seus clientes e consegue ter uma conexão mais direta com o consumidor, o que é positivo para ambos.

2. Seu cliente sempre tem razão – Independente dele estar ou não com ela, tente resolver o problema da melhor forma possível e também entender o lado dele. Se ele estiver errado, mostre que ele está de um jeito educado e discreto. Nunca tente ser superior ao cliente, com respostas irônicas ou humilhantes – isso dá um ar de arrogância e você não quer que seus clientes pensem isso da sua marca!

3. Não provoque – Se o seu cliente fez algum tipo de ameaça, como fazer um processo, não o incentive a isso. Se todos os clientes tomarem a mesma iniciativa, no final das contas você acaba perdendo, no mínimo, a razão.

4. Responda seus clientes – Nunca deixe de responder seu consumidor. Lembre-se que a dúvida ou reclamação de um frequentemente será a de outros. Demonstre interesse no que seus seguidores falam e, o mais importante, não demore mais de um dia para responder.

5. Não discuta publicamente. Nunca! – É um tópico que eu nem precisaria falar, mas vamos lá. Discutir com um cliente expõe uma imagem negativa da sua empresa, e consequentemente agrega pontos negativos. As redes sociais são os lugares que as informações se espalham com maior velocidade, principalmente quando é algo ruim.

6. Não seja uma piada – Contrate um bom profissional de mídias sociais para monitorar sua marca e responder seus clientes. Qualquer deslize pode manchar sua imagem.

7. Seja paciente – Sim, sempre terá aquele cliente com o poder de entendimento mais limitado, mas seu papel é explicar tudo que for necessário até que a situação esteja resolvida. Nunca, em nenhuma hipótese xingue seu cliente. Além de ser falta de educação, ele pode usar isso contra você – e nem adianta apagar, existe cache e printscreen para comprovar o que você disse.

8. Acompanhe suas contas regularmente – De que adianta sua empresa ter conta em diversas redes sociais, se você demora uma semana para respoder à dúvida de um cliente? Para empresas, estar nas redes sociais não é lazer. Crie uma rotina e siga a risca. Quando não puder cumpri-la, avise aos seus seguidores.

De acordo com especialistas, a tendência é que o atendimento ao consumidor seja cada vez mais canalizado para o ambiente web, aproximando as marcas dos clientes. Dados da E.Life (que atua na área de relacionamento de mercado, monitoração e análise de mídias sociais) mostram que os jovens, na hora de reclamar, já estão usando as próprias redes antes de falar com os responsáveis pelos produtos.

Outro ponto que potencializa o poder do consumidor na web é a possibilidade de registrar uma crítica que poderá ser vista a qualquer momento. Podemos achar depoimentos negativos feitos em 2004, que continuam disponíveis para serem consultados em 2010.

Termino esse post com uma última questão: sua empresa está conectada com seu público falando para eles ou com eles?

Caso queira saber mais sobre mídias sociais, clique aqui.

Cut&Paste | Torneio de Design Digital

23/11/2010

O Cut&Paste é um Torneio de Design Digital, uma batalha ao vivo de 2D, 3D e Motion Design que acontece em 10 cidades do mundo todo. Os melhores designers de cada região se enfrentam diante do público e os vencedores de cada categoria vão para batalha final em NY. Esta é uma competição real de design, que coloca os competidores como centro das atenções e oferece ao público a experiência única de acompanhar todo processo criativo bem diante dos seus olhos.

Este ano o torneio vai além do palco. Palestras, workshops e uma série de atividades serão realizadas para compartilhar conhecimento e processos de como fazem e pensam algumas das mentes mais brilhantes da nossa comunidade artística e profissional.

Os competidores brasileiros já foram escolhidos: são 8 competidores para 2D, 4 competidores para 3D e 4 competidores para Motion.

O Cut&Paste São Paulo acontece neste sábado, dia 27 de novembro, na Rua Artur de Azevedo, 1 – Pinheiros.

A programação completa do evento você pode ver aqui e aqui.

Confira como garantir seu ingresso aqui.

E para mais informações, é só clicar aqui.

O vídeo abaixo explica direitinho como é feito o evento, e a sensação de presenciar tudo isso. Dá uma olhada:

A primeira campanha digital da Pirelli

08/11/2010

A Pirelli anuncia campanha digital para foralecer a campanha promocional e criar uma nova linguagem para a marca na internet.

A primeira campanha é “Cliente nº 1”, onde o objetivo é incentivar os clientes a se cadastrarem no site da empresa para obterem descontos nas próximas compras de pneus. No site também oderece aos usuários o esclarecimento de qualquer dúvida sobre compra ou vistoria dos pneus, além de dicas de como prolongar a vida útil dos produtos.

A estratégia da campanha é estreiar o consultor virtual, o Dr. Pirelli. Este personagem representará um profissional treinado e altamente experiente no universo pneu, capaz de dar dicas de uso, indicações de produto e responder as dúvidas dos internautas nas diversas redes sociais.

Outra novidade será um jogo que permite a troca de pneus seguindo os passos normais de uma troca (soltar os parafusos, levantar o carro com o macaco, fazer a troca dos pneus, descer o carro e apertar os parafusos). O participante que fizer todo o procedimento no menor tempo será o vencedor do desafio. Os dez primeiros colocados no ranking coletivo serão premiados.